top of page
  • Foto do escritorPor Dimitry Uziel

IRA! [sesc itaquera]


Edgar Scandurra por Dimitry Uziel

Após 7 anos numa, aparentemente, irremediável pausa, o Ira! ressurge como uma fênix. Sim, ele voltou sem medo de ser feliz, e vem estampando sorrisos, há tempos, quase adormecidos nas faces dos fãs.

Dia 15 de junho de 2014.

Sob uma inesperada tarde nublada, uma massa de pessoas sedentas pelo bom e velho Rock and Roll ia se concentrando no grande morro do SESC Itaquera. Tal qual eu não pisava há mais de nove anos. Mas este espetáculo eu não queria perder. Afinal, era ali que aconteceria um dos primeiros shows oficiais do retorno do IRA, em São Paulo. O primeiro aconteceu na Virada Cultural 2014.

Minutos antes do show, Scandurra subiu ao palco para testar sua guitarra, o que levou o já grande e ávido público ao delírio (coisa de fã). Mas logo voltou ao camarim.

Pois bem. Uma voz feminina anuncia o esperado show. Agora sim. Chegara a hora de ver o novo IRA. Digo novo, pois estamos falando de um IRA sem Gaspa e André Jung. A nova formação conta com versátil e simpático Daniel Rocha (filho de Edgar) no baixo, Evaristo Pádua na bateria e Johnny Boy nos teclados. E, eles realmente estavam preparados para o retorno.

Essa nova fase da banda ainda não possui um novo material sólido, portanto, a apresentação foi regada a clássicos absolutos de sua carreira, sem dó, nem piedade. Um verdadeiro show de canções que fizeram parte da história de inúmeros pobres paulistas. Esse repertório contou com 'Tolices', 'Rubro Zorro', 'Envelheço na Cidade', 'Gritos na Multidão', 'Prisão das Ruas', 'Tarde Vazia', '15 Anos' (com participação especial do trompetista Guizado), 'O Bom e Velho Rock n’ Roll', entre muitas outras pérolas. Uma espécie de releitura de toda uma longa carreira. Mas, uma novidade veio à tona, possivelmente, música que estará no próximo disco da banda, chamada ABCD. Com um ritmo bastante influenciado pela jovem-guarda.

E, apesar dos quilos a mais do frontman Nasi, não faltou energia sobre o palco. E, para quem costuma dizer que ele não canta mais nada, acho melhor escutar Paralamas do Sucesso (rs). É claro que o tempo e o passado esclarecido do vocalista em questão deixou marcas e, talvez o tenha tornado um pouco mais fraco (tecnicamente falando), porém escutá-lo cantando ontem, foi como ouvir o 'Psicoacústica' em minha velha vitrola (meu disco favorito do Ira!). Mas é óbvio que, vez ou outra, Scandurra roubou a cena. O cara é um monstro na guitarra e, como um bom músico, quer, a todo instante, transferir sua euforia e energia aos fãs, em saltos, solos, caras e bocas.

E, por fim, após aquele velho clichê de saída do palco e retorno para um bis, mais clássicos vieram e, para finalizar, nada menos que Pobre Paulista.

Em suma, cada minuto daquela 1 hora e 40 minutos de show valeu a pena.

A banda segue em turnê apresentando esse repertório de clássicos e divulgando essa ressurreição digna de aplausos.

Próximos Shows em Circuito SESC:

JULHO de 2014

4, 5 e 6 – SESC Vila Mariana

16 – SESC Piracicaba

17 – SESC Taubaté

23 – SESC São Carlos

 

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page