top of page

A estreia de Harsh Symmetry


Alguns discos parecem querer nascer para uma relevante importância antes mesmo de existir. É o caso do álbum de estreia, “Display Model”, do jovem musico Julian Sharwarko e seu projeto solo Harsh Symmetry.


Há alguns meses já era possível ouvir falar do tal projeto, após o single “Mirror Twin” ser lançado em 21 de janeiro de 2022. Criou-se então uma expectativa a partir dali. Apesar de nascer um elevado número de bandas e duos e solos dentro do submundo darkwave/post-punk a cada segundo, ao ouvir Mirror Twin, na época de seu lançamento, fui instantaneamente sucumbido por uma espécie de nostalgia deliciosa; um som novo com sabor de passado e aroma de futuro, em escala cinzenta. Sinestesia total.


Hoje, 10 de agosto de 2022 o disco cheio veio ao mundo e, pessoalmente, devo dizer que vale cada segundo de cada faixa. É frio, denso, suspenso no ar.


Apesar de eu não gostar de comparações, devo confessar que, em alguns momentos, lembrou-me Clan of Xymox em sua melhor fase, enquanto Pieter Nooten e Anka Wolbert ainda estavam ao lado de Ronny. A verdade é que Harsh Symmetry lembra e celebra uma mistura de bandas que passou pela 4AD.


“Display Model” foi lançado digitalmente e em três tipos de LP: o clássico preto, um branco opaco e um black and white splatter (respingos preto e branco), todos em gramatura 140, através da já conhecida Fabrika Records, casa de nomes como Selofan, Lebanon Hanover e She Past Away.


O jovem Julian, de Sacramento, California, encanta sem dificuldade, e nos presenteia com 8 faixas que tocariam facilmente em qualquer porão que preze por um bom som. Por fim. Se eu ousar dar uma nota ao debute de Harsh Symmetry, só por já tê-lo escutado três vezes hoje, o meu 10 é garantido. Que o jovem Julian Sharwarko nos presenteie com mais maravilhas sonoras como esta.


















 

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


bottom of page