top of page
  • Foto do escritorMarcelo Conte

Alinhamento Planetário: banda ZERØ, Madame e o Escort XR3

Antes que possamos discorrer o texto que virá, devo introduzi-los e contextualizar a situação.

Poucos dias após a 6ª edição do Post-Punk Brasil, que acontece no Madame Underground Club (SP), recebemos um e-mail de Marcelo Conte, no qual ele descreve suas paixões e nos coloca na situação óbvia de publicar seu olhar sobre a noite de 16 de julho de 2022. É simplesmente apaixonante a maneira como Marcelo alinha as palavras e as situações para elucidar sua perspectiva. Curiosamente, naquela noite, eu o fotografei, sem ao menos conhecê-lo pessoal ou virtualmente. Posso, sinceramente dizer que é um prazer trazer este texto aqui na Bunnyhaus.

Pois bem. Fiquem com o "Alinhamento Planetário" de Marcelo Conte.

introdução de Dimitry Uziel

O alinhamento planetário é um fenômeno raro de acontecer, que sempre desperta fascínio nas pessoas. Consiste no alinhamento em fileira de planetas em um dos lados do Sol ao mesmo tempo. E foi justamente assim que eu poderia descrever a minha sensação na noite de 16 de julho de 2022. Uma combinação única de coincidências, ligando o passado ao presente.


O retorno da Banda Zerø na sexta edição do Post-Punk Brasil no Madame provocou um turbilhão de energias em várias pessoas e em mim. Eu sempre fui apaixonado por música, lugares históricos e carros. E, sem dúvida, que a Banda Zerø, o Madame Satã e o Escort XR3 são referências dos anos ’80 para muitas pessoas da minha geração. Ícones da década perdida. Contudo, ícones inacessíveis para mim. Naquela época, eu era um rapaz do interior, e embora a Banda Zerø, fosse uma constante nos meus toca-fitas e tocas discos, porém, eu nunca tive a oportunidade de assistir um show ao vivo. O Madame Satã, era o Templo inatingível, eu o conhecia essencialmente pelas reportagens dos jornais e revistas e, por apenas uma única e inesquecível visita em 1987. Quanto ao Ford Escort XR3, o carro dos meus sonhos, era objeto de desejo e admiração quando eu via um passar por mim pelas ruas.


Contudo, na noite de julho de 2022, após quase quatro décadas, todos esses elementos, como em um alinhamento planetário perfeito, se materializaram!


O primeiro “planeta”, começou a se alinhar há seis anos atrás quando eu tive a oportunidade comprar o meu Escort XR3 1988, na cor azul Mistral, totalmente original. Exatamente como saiu da fábrica de São Bernardo do Campo em outubro de 1988. Ao longo de todo esse tempo, como em um orbita elíptica em câmera lenta, o automóvel parecia se preparar para aquele que seria o momento máximo da sua história: nos levar naquela noite, de Jundiaí-SP ao Madame, para assistir o show da Banda Zero. Fomos eu e minha esposa a Daiane, como se estivéssemos numa viagem pelo tempo. Quando chegamos em frente ao Madame eu senti, que realmente, aquela noite seria única. Estacionamos o carro e vimos o Guilherme Insnard chegando para o show... a cada minuto a imersão ficava mais intensa. Era real! O Escort XR3, o Madame e a Banda Zero estavam de alguma forma reunidos... o que eu deveria ou gostaria de ter vivido, a pelo menos trinta e cinco anos atrás, estava acontecendo naquela noite.


Entramos no Casarão e aquela experiência sensorial que só o Madame é capaz de nos proporcionar. Novamente, eu não conseguia distinguir o passado, presente e o futuro. A energia do Casarão parecia ainda mais poderosa. Ficamos curtindo o som e o lugar por algumas horas. E aí o momento mais esperado aconteceu: a Banda Zero entrou no palco e o Guilherme Insnard com sua presença marcante tomaram conta do lugar. A experiência sensorial ainda mais intensa! Sensações visuais, sonoras, olfatórias, gustatórias e sinestésicas.


A sobreposição entre passado e presente foi sinérgica... não havia nostalgia e sim emoção de curtir aquele momento. A dimensão do tempo foi anulada. Guilherme alternou as músicas novas e os antigos hits na medida certa. O Madame não era mais Satã, mas conservou a sua essência em sintonia com o nosso mundo atual. O Escort XR3, que me aguardava no estacionamento, não era o mais o carro do ano e um dos mais desejados da época, mas se tornou um clássico. E eu não era mais um jovem de 19 anos, mas me sentia ainda melhor. Todos nós carregamos as marcas do tempo, mas não ficamos obsoletos.


A simbiose entre todos os elementos foi completa. Não foi apenas revisitar o passado. A Banda Zero e Guilherme Isnard em uma performance memorável. O Madame renovado e pulsante, mais vivo do que nunca. O Escort XR3 analógico, mas funcional. E, finalmente, a certeza de que ainda sou capaz de sonhar. Como disse o Guilherme durante o show, não erámos um cover de nós mesmos.


Mesmo com as dificuldades que esses personagens tiveram ao longo de tantas décadas, todos, cada um com sua história chegaram até 2022. Quantas pessoas, amigos, bandas, lugares, carros não ficaram pelo caminho? Mas, apesar dos inúmeros obstáculos que estes “planetas” enfrentaram por quase quarenta anos, eles insistiram em se alinhar novamente, e me proporcionaram um dos momentos mais inesquecíveis da minha vida.


Obrigado Banda Zero e Madame.

 

No e-mail que recebemos o texto de Marcelo Conte havia o seguinte post scriptum:

Eu também gostaria de te enviar uma foto para ilustrar o texto que eu escrevi. A ideia era tirar uma foto do carro em frente ao Madame na hora de eu ir embora. Mas por uma bobeira, no final da noite eu levei um escorregão numa das escadas do casarão e torci meu joelho... kkk. Aí tava com muita dor e fui embora sem fazer a foto. Mas você bateu uma foto minha esposa comigo, logo no início daquela noite.
banda zero
Marcelo Conte e esposa
 

1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

댓글 1개


marcelo.conte.prof
marcelo.conte.prof
2022년 7월 31일

Valeu mesmo Bunny Haus! Uma honra estar com vocês!

좋아요
bottom of page